Análise da normalidade – como executar

Por vezes torna-se necessário analisar se uma variável tem ou não distribuição normal.

Seleccionam-se os comandos de acordo com a imagem a seguir.

normalidade

De seguida é aberta uma janela, onde se escolhe a variável cuja distribuição pretendemos analisar, conforme imagem abaixo.

normalidade_2

Em Statistics, selecionar Descriptives. Continue

normalidade_4Escolhendo a opção Plots, em  Boxplots- escolhe-se Factor levels together; em Descriptive escolhe-se Stem-and-leaf e Histogram. Escolhe-se, ainda, Normality plots with tests e Continue.

normalidade_3Carregar em Ok para obter o output da análise.

No output irá encontrar o valor do teste e a significância. Se esta for superior a 0,05 então as variáveis em estudo seguem uma distribuição normal.

 

Guardar

118 thoughts on “Análise da normalidade – como executar

  1. alessandra

    Bom dia,
    Preciso fazer a analise da normalidade de uma amostra, porem minha variável dependente é multicotomica (5 categorias) e tenho 63 variáveis independentes. Consegui fazer a analise conforme indicado por vocês, porem o SPSS da o output para cada uma das variáveis. Gostaria de saber como fazer a analise da normalidade de toda a amostra e não de cada uma das variáveis.

    Reply
  2. Pedro Vieira Sarmet Moreira

    Oi, geralmente, quando tenho 2 grupos (por exemplo: grupo A: 7 de elite e grupo B: 7 atletas subelite) e 1 variável, como por exemplo a velocidade do pé, normalmente eu faço o teste de normalidade para cada grupo, ou seja, um teste para a normalidade da velocidade para atletas do grupo A e outra para atletas do grupo B, e se caso em algum destes grupos, os dados não apresentarem normalidade, então eu recorro aos testes paramétricos. Contudo, tenho um colega que me diz que estou fazendo da forma errada e que eu deveria agrupar os valores de todos os atletas (total de 17 atletas) de ambos os grupos (A e B), em apenas uma coluna, e fazer apenas um teste de normalidade, para a variável velocidade, independente do grupo. Portanto eu gostaria, qual a maneira correta? O método 1 (realizar os testes de normalidade separadamente) ou o método 2 (realizar um único teste de normalidade com todos os voluntários agrupados em uma única coluna)?

    Atenciosamente

    Reply
    1. Teresa Post author

      O mais correcto será avaliar a distribuição para cada grupo, que poderá ser feito em Analyze/NonParametric tests/Legacy Dialogs/2 Independent Samples. Escolaher a variável que pretende comparar e os grupos em análise e escolher o teste Kolmogorov-Smrnov.

      Reply
      1. André Araújo

        Olá professora Tereza, parabéns pelo site, maravilhoso!!
        Serei pontual, quais as alternativas mais comuns entre os pesquisadores na hora de verificar o sucesso na normalidade de dados cujo n é pequeno? Fazer uma transformação de Log10, tentar substituir outliers por média mais dois desvios padrão? Existem outras alterativas?
        ATT

        Reply
        1. Teresa Post author

          Desconheço os procedimentos, mas já ouvi falar em: raiz quadrada, logaritmo e transformação inversa.

          Reply
      2. George

        Olá Teresa.. e se um grupo tiver distribuição normal e o outro não? Qual teste devo usar para comparar os dois, paramétrico ou nao-parametrico?

        Reply
      3. Mateus

        Olá tudo bem professora ? Muito obrigado pelas suas dicas, elas foram muito valiosas.
        Eu estava com a mesma dúvida, se devia fazer o teste de normalidade para cada grupo em separa, ou se devia fazer o teste no grupo total, considerando os dois grupos em conjunto.
        Porém você já respondeu que devo fazer para os grupos em separado, e caso um dos grupos tenha distribuição não-normal, devo usar um teste não-paramétrico.
        E eu queria saber se você pode me indicar um livro ou referência que fale sobre essa questão.

        Muito obrigado desde já pelas dicas professora.
        Parabéns pelo site.

        Reply
    2. ANA CAROLINA

      grupo amostral foi constituído por 75% de acadêmicos do gênero feminino e 25% do gênero masculino (…) Quanto à normalidade dos dados, o teste de Shapiro-Wilk apresentou um valor de p = 0,001”. De acordo com estes dados, esta amostra teria uma distribuição normal ou anormal? alguém sabe me explicar esta questão

      Reply
      1. Teresa Post author

        A H0 do teste de Shapiro-Wilk diz: não existem diferenças.
        Como o p é inferior a 0,05, a H0 é rejeitada concluindo-se que existem diferenças estatisticamente significativas.

        Reply
    1. Teresa Post author

      O teste de Shapiro-Wilks é específico para analisar a normalidade enquanto que o teste de Kolmogorv-Smirnov é mais geral mas menos potente.

      Reply
  3. Paula

    E quando se tem dois grupos cujos indivíduos foram avaliados antes e depois de um tratamento? A análise da normalidade é feita nos dois tempos? Ou só no valor inicial?

    Reply
    1. Teresa Post author

      Para cada momento em que avalia os indivíduos é criada uma variável. Nesse caso específico vai ter duas variáveis que devem ser analisadas quanto à distribuição.

      Reply
  4. Felipe

    Olá, estou com uma duvida: quando uma variável em uma população possui distribuição normal mas em outra população essa mesma variável não segue a distribuição normal, como podemos comparar as duas populações em relação a esta variável ? Obrigado

    Reply
    1. Teresa Post author

      Quando pretende comparar dois grupos INDEPENDENTES utiliza o teste de Kolmogorov-Smirnov (K-S).
      No MENU escolhe ANALYZE – NONPARAMETRIC TESTS – LEGACY DIALOGS – 2 INDEPENDENT SAMPLES. Escolhe as variáveis a comparar, define os grupos e depois pede o teste de K-S.

      Reply
  5. André Frota

    Professora, uma dúvida… eu tenho uma amostra n=200 de uma pesquisa… quando eu aplico o teste de normalidade (Kolmogorov-Smirnov ou Shapiro Wilks) os dados se apresentam não normais… como pode isso ocorrer se para n acima de 30 já se presume normalidade?

    Reply
    1. Teresa Post author

      André, para n acima de 30 não se presume uma distribuição normal. O que referem alguns autores é que em amostras superiores a 30, os resultados dum teste paramétrico ou não-paramétrico não diferem muito.

      De qualquer das formas, o mais correcto é aplicar testes não-paramétricos em amostras que apresentam uma distribuição diferente da distribuição normal.

      Reply
      1. Beatriz

        Professora, no seguimento do e-mail do colega André, gostaria de fazer uma questão: eu tenho três grupos de amostra com n superior a 50 cada grupo e testei a normalidade em separado. O resultado indica-me para fazer testes não paramétricos. Contudo ao verificar os gráficos, os valores estão mais ou menos alinhados na recta. Por isto, não posso assumir a normalidade?

        Obrigada pela ajuda

        Reply
  6. Filipa

    Olá Teresa. Tenho uma dúvida pois tenho a minha estatística enferrujada. Tenho uma amostra de 14 individuos com variáveis relativas ao antes e depois do exercício físico. E tenho ainda 14 individuos que são o meu grupo controlo. Como disponho eu no SPSS estes dados? Eu criei 14 linhas, sendo que uma variável é o individuo controlo correspondente ao individuo em estudo. Está correto? Uma outra questão é, os testes à normalidade são para fazer em todas as variaveis? (sexo, idade, fumador,altura, etc etc) E ainda.. que testes tenho de usar para descrever a minha amostra, parametricos nao parametricos? Além de amostras emparelhadas,tenho amostras independentes?

    Reply
    1. Teresa Post author

      A sua amostra é constituída por 28 indivíduos. Cada linha do SPSS em Data view é um caso.
      Cada indivíduo tem de ser identificado por uma variável para que se saiba se é do grupo de controlo ou não.

      Os testes de aderência à normalidade só interessa para variáveis ordinais ou de escala.

      Para a descrição da amostra tem de usar estatística descritiva: número, percentagem (para variáveis nominais e ordinais), média, mediana, desvio padrão, mínimo, máximo, etc (para variáveis de escala).

      Se pretender comparar o grupo de controlo com o outro grupo, ambos são grupos independentes.
      Se pretender comparar o sujeito antes e depois do exercício, trata-se de amostras emparelhadas.

      Reply
      1. Thais

        E no caso de pretendermos comparar dois grupos da seguinte forma: antes e depois intra grupos e antes e depois inter grupos?
        No caso de antes termos distribuição normal e depois não, não paramétrico?
        Obrigada.

        Reply
        1. Teresa Post author

          Comparar o mesmo grupo é o teste t para amostras relacionadas/dependentes.
          Comparar grupos diferentes é o teste t para amostras independentes.

          Quando a distribuição segue a Normal, usam-se testes paramétricos. Quando não segue a Normal, usam-se os não-paramétricos.

          Reply
  7. Claudia Alves

    Bom dia.
    Efetuado o teste à normalidade através de Analisar-Estatisticas Descritivas- Explorar… o quadro final fornece-nos os valores referentes aos testes de Kolmogorov e Shapiro… Qual os dados q devo de utilizar pra intrepretação? Só Statistic ou tb o Sig. ? E qual a intrepretação a fazer?

    Reply
    1. Teresa Post author

      Apresenta o valor do teste (statistics) e a significância (sig.). É a significância que nos diz se aceitamos ou rejeitamos a hipótese nula da distribuição ser normal.
      Caso a significância seja inferior a 0,05 rejeita-se a h0. Ou seja, a distribuição não é normal.

      Reply
    1. Teresa Post author

      O tipo de variável pode ser data, numérico, string (alfanumérica), etc. Alguma variável ainda está em formato string e não pode utilizar para fazer análises estatísticas.
      Tem de alterar o tipo de variável para numérico. Mas atenção porque pode perder os dados dessa variável. Aconselho-a a fazer uma recodificação da variável, criando uma nova variável.

      Reply
  8. Patrícia Faria

    Boa noite.
    No trabalho que estou a realizar quero verificar se existem diferenças nos resultados de alguns testes antes e depois de uma formação. Tratam-se de variáveis emparelhadas e como tal terei de fazer a variável diferença para cada teste antes e depois certo? No entanto como posso fazer isso no spss?

    Já agora, como a minha amostra é de 11 elementos terei de testar a normalidade da variancia diferença para cada teste certo?
    Se seguir a normalidade uso teste t e se não seguir a normalidade wilcoxon.
    Estou correta? E poderia explicar-me então quais os comando para a variável diferença?

    Obrigada

    Reply
    1. Teresa Post author

      Para o Wiicoxon: Menu-Analyze-Non Parametric Tests- Legacy Dialogs-2 Related Sample
      Para o teste t: Menu-Analyze-Compare MEans-Paired-Samples T test

      Reply
  9. Filipa Coelho

    Olá Teresa!

    Como se fazem os testes de Hipóteses? H0 é sempre uma afirmação falsa? E segue sempre a mesma regra para todos os testes? E admitindo um nivel de significancia de 0,05 entao se pvalue<0,05 eu rejteito H0, certo?
    Estou muito confusa.
    Muito Obrigada!

    Reply
  10. Filipa Coelho

    Para menos de 50 amostras e para avaliar a normalidade de amostras consideramos o K-S ou o shapiro wilk?

    Obrigada Teresa

    Reply
  11. Filipa Coelho

    Boa tarde Teresa,

    Está a acontecer algo estranho. Ao fazer o teste de normalidade de quatro variavel, NParametrico -> K-S, no SPSS 21 tenho normalidade em todas e se fizer na versao SPSS 23 já não. Iso porque o meu Assinto. Sig esta com correçao de lilliefors! Não posso considerar o Sig Exato para poder ter as minhas amostras normais? E nao percebo porque ocorre esta diferença se os testes sao feitos de igual maneira. Obrigada Teresa

    Reply
    1. Teresa Post author

      A correcção de Lilliefors é usada quando desconhecemos a média e o desvio padrão da população.
      No seu caso, os mais correctos são os resultados com a correcção de Lillifors, já que está a trabalhar uma amostra da população.

      Reply
  12. Raquel Santos

    Boa tarde,
    Para fazer o teste de Kruskal-Wallis é sempre necessário testar a normalidade?
    Entretanto deparei-me com outra dúvida, estou a trabalhar uma amostra de 83 individuos, que tem 4 categorias profissionais. Só tenho uma variavel intervalar que é a idade, as restantes são ordinais e nominais, ao fazer este teste só posso estudar as ordinais? Um exemplo, a satisfação(muito satisfeito,satisfeito,indiferente,insatisfeito, muito satisfeito)é variavel ordinal, a variavel em estudo, mas queria cruzar os dados com a categoria profissional, mas por esta ser nominal é incorrecto fazer?
    Obrigada

    Reply
    1. Teresa Post author

      O Kruskal-Wallis aplica-se a variáveis não -paramétricas, logo não apresentam distribuição normal ou não são variáveis de escala.
      A satisfação, estando em escala tipo lickert, pode ser considerada uma variável de escala.
      Se pretende cruzar a satisfação (ordinal ou escala) com a categoria profissional (nominal) pode usar o Qui-quadrado ou analisar as proporções (em tabelas). Pode analisar diferenças usando o Kruskal-Wallis.
      Se considerar a satisfação como variável de escala, analisa a distribuição e, caso seja paramétrica pode usar a ANOVA para analisar diferenças.

      Reply
  13. Claudia

    Olá Teresa!
    Obrigada por manter este website!

    Minha dúvida:
    Em meu estudo são 68 sujeitos separados em dois grupos (que foram submetidos a avaliações em dois momentos) e 270 variáveis a serem comparadas e analisadas.
    Como proceder para o teste de normalidade? Devo fazer para cada variável?

    Obrigada!

    Reply
  14. Maria

    Boa Noite a minha amostra é de 45 elementos
    mas eu vou comparar o grupo C que respondeu a ao questionário C (22elementos) com o grupo F (23elementos) que respondeu ao questionário F

    Dentro dos questionários C tenho o grupo do curso/turma A e do curso/turma B

    Dentro dos questionários F tenho o grupo do curso A e do curso B mas não são os mesmos que no C

    Ou seja Tanto a turma A e B, foram divididas e metade respondeu ao questionário F e a outra metade ao questionário C

    Eu testei a normalidade individualmente : Ac; Bc; Af e Bf

    Ainda testei o C ( com o Ac e o Bc) e testei o F ( com o Af e o Bf)

    Conclusão fiquei extremamente confusa

    1º porque a minha amostra total é de 40 indivíduos e os grupos que vou comparar têm no total menos de 30 sujeitos : então, uso Kolmogorov ou Shapiro ?

    2º (Comparação F com C)
    Kolmogorov, no grupo grupo C segue normalidade , no grupo F já não segue, então uso teste paramétrico ou não paramétrico? ( se fizer Shapiro não segue nos dois P menor que 0,05)

    3º Comparação da turma A e B ao responder ao questionário C (ac com bc)
    Em ac: em Kolmogorov: segue normalidade em Shapiro: não segue
    Em bc: em Kolmogorov: segue normalidade e em Shapiro segue também
    Duvida: se fizer shapiro aplico um teste paramétrico ao dois ou não paramétrico?

    4º Comparação da turma A e B ao responder ao questionário F (af com bf)
    Em af: em Kolmogorov: segue normalidade em Shapiro: segue também
    Em bf: em Kolmogorov: não segue normalidade em Shapiro: não segue

    Duvida se fizer shapiro ou kolmogorov num grupo segue normalidade e no outro não então aplico teste não paramétrico?

    Desculpe se esta um pouco confuso

    Cumprimentos

    Reply
      1. Maria

        Muito obrigada por ter respondido,

        mas se eu num grupo seguir normalidade mas noutro já não seguir, aplico teste não paramétrico correto? ( na questão de comparar dois grupos)

        Mais uma vez obrigada

        Comprimentos
        Francisca

        Reply
  15. Marina

    Eu tenho uma pergunta semelhante à da Maria. Estou avaliando os níveis de leptina em 3 grupos: peso normal, sobrepeso e obesidade. Nos dois primeiros grupos verifico que seguem distribuição normal, no terceiro grupo verifico que não. Qual teste usar para comparar os níveis de leptina entre os 3 grupos: Kruskal- Wallis ( teste não paramétrico) ou ANOVA (paramétrico)?
    Outra questão: é possível testar correlação entre uma variável paramétrica e outra não paramétrica? Se sim, qual teste usar: Teste de Correlação de Pearson ou Spearman?
    Muito obrigada!
    Att,

    Reply
    1. Teresa Post author

      Para analisar diferenças entre os 3 grupos aplicar o teste de Kruskal-Wallis. No entanto, alguns autores consideram que a ANOVA pode ser utilizado em qualquer variável, quer siga ou não uma distribuição normal.

      Para a análise de correlação, basta que uma das variáveis seja não paramétrica para ser necessário a escolha do teste não paramétrico.

      Reply
  16. Pauli Visa

    Tereza, bom dia.
    Surgiu-me uma dúvida.
    Tenho uma amostra de 60 casos (30 pacientes e 30 controles) para os quais testo inúmeras variáveis.
    Para testar a normalidade de variáveis “scale” devo testar nos 60 casos ? Ou devo testar nos 30 pacientes em separado e nos 30 voluntários ?
    – caso ocorra de ser não normal nos pacientes (grupo1) e normal nos controles (grupo 2) a apresentação do grupo 1 será de mediana e IQ e do grupo 2 de médias +/- DP , correto ?
    – neste caso da variável ser não normal no grupo 1 e normal no grupo 2, qual o teste a ser aplicado para comparar a diferença desta variável entre os grupos ?
    obrigada por manter o site

    Reply
    1. Teresa Post author

      Pode testar a normalidade em cada grupo em Analyze-Descriptive Statistics-Explore. Escolhe a variável de escala como dependente e a variável nominal como factor. Use o teste Shapiro-Wilk. Se sig.>0,05 então a variável tem distribuição normal.

      Se vai comparar os dois grupos, tem de usar o mesmo teste.

      Reply
  17. Amanda Batista

    Olá Teresa! Fiquei muito feliz em ver este site! Parabéns! Queria tirar uma duvida. Tenho uma amostra com 288 dados, e utilizei o teste de normalidade K-S; no entanto a revista que submeti o artigo diz que eu deveria usar o S-W porque n<300. Essa informação é correta? Aguardo uma ajuda! Obrigada!

    Reply
    1. Teresa Post author

      Esta é mais uma discussão entre estatísticos e matemáticos.
      Alguns dizem que o melhor será usar o Shapiro-Wilk em amostra menores que 50 e o Kolmogorov-Smirnov (com correção Lilliefors) em amostras maiores.
      Este estudo (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3693611/) de 2012 diz que o melhor é o Shapiro-Wilk independentemente do tamanho da amostra.
      Outros autores dizem que o melhor é analisar os gráficos e decidir com bom senso.

      Espero ter ajudado.

      Reply
    1. Teresa Post author

      São usados em variáveis de escala.
      Algumas variáveis categóricas podem ser consideradas variáveis de escala, como as que estão numa escala de Lickert.

      Reply
      1. Danielle

        Poderia indicar alguma referencia sobre testes de normalidade serem apenas usados em variáveis de escala? Caso as variáveis sejam não-normais, aconselha aplicar um teste não-parametrico ou transformar as variáveis para alcançar normalidade?

        E em relação as variáveis nominais, que testes posso realizar?

        Obrigada!

        Reply
  18. Alexandre Silva

    Professora, o que fazer quando os testes de Kolmogorov e Shapiro divergirem nos valores de Sig, pois, na minha pesquisa um está indicando normalidade e o outro anormalidade na distribuição. Também notei divergências com relação ao valor de skweness e kurtosis com os valores de Shapiro ou Kolmogorov; nesse caso, qual dos métodos prevalece ?

    Reply
    1. Teresa Post author

      Alguns estudos apontam para um melhor desempenho do Shapiro-Wilk comparativamente ao Kolmogorov-Smirnov, para todos os tipos de distribuição e tamanhos de amostra.
      (Mendes & Pala, 2003; Keskin, 2006; citados por Razali & Wah, 2011).

      Reply
  19. Marta

    Boa tarde,
    Eu tenho uma amostra de 154 sujeitos, sendo que 120 são do grupo de controlo e 34 do grupo experimental. Devo usar o mesmo teste para testar a normalidade em ambas? Assim, tenho de usar o Shapiro-Wilk porque um dos grupos é <50 não é?

    Desde já muito obrigada pela atenção

    Reply
  20. Thiara

    Olá Tereza,
    quando tenho variáveis ordinais, eu trato os meus dados com não normais e escolho testes não paramétricos para fazer as associações?

    Reply
    1. Teresa Post author

      É mais correcto dizer que os testes paramétricos são apenas utilizados em variáveis de escala ou de razão que apresentem distribuição normal.
      Assim, para uma variável ordinal apenas se podem utilizar testes não paramétricos.

      Reply
  21. Renata Botelho

    Boa tarde Teresa,

    Tenho uma única amostra de atletas (n=25) e fiz 5 avaliações em diferentes momentos. Meu objetivo é analisar as variáveis nos diferentes momentos.
    Qual o melhor teste a ser aplicado?

    Reply
    1. Teresa Post author

      O teste t para amostras emparelhadas ou, em alternativa, o Kruskal-Walis caso as variáveis não tenham distribuição normal.

      Reply
  22. Joana Barreto Oliveira

    Olá Teresa,

    como interpreto o p-value do teste kolmogorov-smirnov?

    como sei quando se rejeita a hipótese nula?

    Obrigada!

    Reply
    1. Teresa Post author

      Se a significância for inferior a 0,05 a distribuição das variáveis em estudo não segue a distribuição normal.

      Reply
  23. Natália

    Teresa, bom dia!

    Estou analisando alguns resultados dos meus experimentos e estou com dúvida em relação a análise estatística. Você pode me ajudar?

    Trabalho com 2 tipos de camundongos A e B. Um grupo de 6 animais A e 6 animais B são infectados para análise da resposta imunológica. Para cada tipo de camundongo tenho seu respectivo grupo controle também de 6 animais. Ou seja:

    Grupo A: controle (6 animais)
    Grupo A: infectado (6 animais)
    Grupo B: controle (6 animais)
    Grupo B: infectado (6 animais)

    Ao término do experimento desejo comparar os níveis de expressão de algumas moléculas entre estes grupos.

    A análise que tenho feito é verificar se os dados tem distribuição normal. Aqueles grupos que apresentam distribuição normal aplico teste t não pareado. Aqueles grupos que não apresentam distribuição normal aplico teste não paramétrico Mann-Whitney. A minha dúvida e se está correto da maneira como estou fazendo.

    Obrigada!

    Reply
  24. Beatriz

    Boa tarde Teresa, estou a fazer a minha dissertação de mestrado e tenho uma dúvida. Li numas outras teses que deveria fazer inicialmente certos tipos de teste para garantir, por exemplo, a normalidade (se for o caso) das variáveis. Vi que deveria fazer o teste de homogeneidade das variâncias e os testes de normalidade de Kolmogorov-Smirnov + análise de enviesamento e curtose para verificar desvios da normalidade. Posso fazer isto para todo o tipo de variáveis ou escalas? Tem de ser numa fase inicial da análise? Como o faço no SPSS? Um grande obrigado.

    Reply
    1. Teresa Post author

      A análise da distribuição só se faz para variáveis de escala.
      Penso que nos comentários acima e no artigo tem as respostas para como analisar a normalidade.

      Reply
  25. Ana Carolina

    Boa tarde Teresa, estou trabalhando com 5 grupos de temperaturas sendo que cada grupo possui sete amostras com 20 dados. Gostaria de saber se o teste de normalidade de Kolmogorov-Sminov deve ser aplicado para cada grupo individualmente e se caso os dados sejam normais posso utilizar a ANOVA e, caso contrário, o teste de Kruskal-Wallis.
    Obrigada

    Reply
  26. Bruna

    Boa noite. Gostaria de uma ajuda, Estou analisando um grupo de 10 pacientes antes e após uma intervenção em relação a uma única variável no eletrocardiograma…por exemplo o QT). Para eu saber se minha amostra é normal eu aplico o que ensinou acima apenas uma vez, com os dados antes da intervenção. Correto? Ou também tenho que ver se os dados após a intervenção obedecem a curva de normalidade?

    Reply
  27. Andre

    teresa,
    Fiz o teste de normalidade dos dados e não deu normal os dados. Qual o passo seguinte que devo fazer. Obrigado pela ajuda.

    Reply
  28. Mércia

    Boa tarde Teresa, estou trabalhando com uma variável dependente e 4 independentes, como devo fazer o teste de normalidade? uma variável por vez? E se acaso apenas uma não der normal?

    Grata!

    Reply
    1. Teresa Post author

      Pode analisar todas as variáveis em conjunto. Se uma não tiver distribuição normal é melhor usar teste não paramétricos para todas as análises em que essa variável esteja envolvida

      Reply
  29. Juliana

    Olá professora, eu tenho dois grupos, cada grupo foi avaliado em 4 tempos. Posso usar o teste de Friedman + Wilcoxon pra avaliar os tempos, e depois Man Whitney pra avaliar os grupos, cada tempo por vez? Em um dois tempos os grupos são não normais, por isso estou achando que não posso usar ANOVA para medidas repetidas (MANOVA). É isso ? Desde já muito obrigada!

    Reply
  30. Anabela

    Boa tarde,
    Precisava de tirar uma dúvida. Quando faço o teste K-S de grupos a partir de one sample K-S porque já fiz o split prévio dos meus grupos tenho algumas situações que não é dado um p-value por ter um N menor que 5. Quando faço o K-S de duas amostras já dá um p value. É porque analisa os dois grupos juntos?
    Obrigada

    Reply
  31. Raquel

    Teresa
    eu tenho um conjunto de 29 amostras de consumo de madeira diario em cada familia e número de agregado familiar e quero correlacionar. apliquei o teste de normalidade como devo fazer a leitura, qual dos testes devo considerar? Kolmogorov-Smirnova ou Shapiro-Wilk?
    Se tiverem ambos uma distribuição norma posso usar a correlação de pearson? ou por ser pouca amostra devo sempre usar o sperman. Outra coisa, se eu usar os dados dos sperman como devo representar os valores no gráfico (valor r/r2)?

    Obrigada!

    Reply
  32. Miguel

    Bom dia,

    Gostaria que me esclarecesse uma dúvida. Ao realizar um teste ANOVA a uma variável quantitativa com uma variável qualitativa com mais de 2 grupos (4 grupos para ser mais exato), caso 3 deles apresentem uma distribuição normal e 1 grupo não isto remete-me necessariamente a utilizar um teste não paramétrico (neste caso Kruskal-Wallis)?

    Muito Obrigado

    Reply
    1. Teresa Post author

      Pode optar pela alternativa não paramétrica, no entanto muitos autores salientam a robustez da ANOVA mesmo em variáveis não paramétricas, pelo que o seu uso não é descabido.

      Reply
      1. jadiane

        Professora, você poderia me enviar as referencias desses autores que citam sobre isso na ANOVA, pois preciso referenciar. Muito obrigada!

        Reply
  33. Ana Laura

    Olá Professora!
    Eu utilizei um teste de Levene para averiguar a homogeneidade das variâncias. Após esse teste eu tenho que usar o teste de Shapiro – Wilk para verificar a normalidade dos dados? E após esse resultado eu escolho se uso um teste paramétrico ou um não paramétrico.

    Reply
  34. Rita Martins

    Olá professora!
    Parabéns por manter este site tão informativo e esclarecedor!
    Espero que me consiga ajudar também

    Eu estou a trabalhar com 5 variáveis (taxas de mortalidade, eclosão, etc) e um factor (tipo de praia) que é subdividido em três grupos (praias escuras, mistas e claras).
    Eu apliquei a transformação Arcoseno Raiz Quadrada para obter dados com normalidade e/ou homogeneidade.

    Então as minhas dúvidas:
    a) o teste da normalidade é aplicado a cada variável no total como um todo (N=70)? Ou devo aplicar o teste para cada grupo do factor “tipo de praia”? Ou seja, obter três valores de significancia (dos três grupos) para cada variável?

    b) caso seja a 2ª opção, se um dos grupos acusar falta de normalidade, então assumo que para aquela variável não há normalidade e recorro a um teste não paramétrico para analisar essa variável?

    c) no caso de uma variável “não normal”, quando recorro ao teste não paramétrico, utilizo os dados transformados (com Arcsen raiz) ou os dados experimentais?

    Obrigada!

    Reply
    1. Teresa Post author

      Rita

      Alguns autores consideram que deve fazer a análise de normalidade em cada grupo e outros consideram que deve ser no total.
      Caso opte por fazer a análise em cada grupo, caso um dos grupos não apresente distribuição normal deve aplicar a alternativa não paramétrica.
      Desconheço o método Arcsen raiz.

      Reply
  35. Lais

    Olá, a minha duvida é a seguinte: como fazer teste de normalidade em dados em que o n é <5, existe algum teste?obrigada

    Reply
    1. Teresa Post author

      É preferível que aplique o teste de Shapiro-Wilk.
      Em Analyze-Descriptive Statistics-Explore. Depois escolhe a variável a analisar pedindo, em Options, Normality Plots with Tests.

      Reply
  36. Sara

    Boa noite! Se uma das variáveis não tiver p<0,05 mas todas as outras forem p<0,05 devo usar na mesma um teste não-paramétrico?

    Reply
  37. GIZELI DE FATIMA RIBEIRO

    Boa tarde
    Parabéns pelas explicações
    Estou precisando de ajuda na minha tese, estou comparando 3 grupos (seis variáveis e um total de 48 , 84 e 63 pacientes em cada grupo). Apliquei o teste de normalidade e só uma variável apresentou distribuição normal. Posso usar ANOVA para todos ou preciso usar BOOTSTRAP (essa não estou conseguindo aplicar)
    Obrigada

    Reply
    1. Teresa Post author

      Pode usar ANOVA. No entanto tem de fundamentar a sua opção. Procure autores que confirmem que a ANOVA é suficientemente robusta e não necessita de ser usada em variáveis com distribuição normal.

      Reply
        1. GIZELI DE FATIMA RIBEIRO

          NESSE CASO EU PODERIA USAR ANOVA PARA APENAS UM TESTE E KRUSKAL WALLIS PARA OUTRAS 5 VARIÁVEIS?
          DESDEJÁ OBRIGADA

          Reply
  38. Flávia Assunção Campelo

    Bom dia. Estou realizando análise estatística dos meus dados de composição centesimal de duas cultivares de sorgo. No entanto ao fazer o teste de normalidade pelo SPSS para o teste de Kolmogorov – Smirnov encontrei um valor de 0,072 enquanto que para o teste de Shapiro – Wilk o valor encontrado foi de 0,031, como devo interpretar esses valores? E outra coisa, para outra variedade os valores encontrados foram 0,200*, o que isso significa?

    Obrigada

    Reply
    1. Teresa Post author

      Importa mais saber o valor da significância associada para determinar se podemos decidir se a variável segue ou não uma distribuição normal.
      Se a significância associada ao teste de Kolmogorov-Smirnov for superior ou igual a 0,05 podemos concluir que a variável segue a distr. normal.

      Reply
  39. sophie

    No meu estudo a variável dependente é a presença de Ulcera de Pressão (SIM ou Não) e as independentes são várias (idade, sexo, IMC, …). Como faço para saber se a variável dependente que é nominal tem ou não distribuição normal
    Amostra 67

    Reply
  40. Helena

    Como proceder ao teste de normalidade quando tenho 2 grupos (iogurtes magros e nao magros) e varias variaveis (teor de lipidos, teor de hidratos, teor de açucares, teor de gorduras saturadas..)? obrigada

    Reply
    1. Teresa Post author

      Tem de analisar a distribuição das variáveis de escala em que pretende fazer as análises: teor de lipidos, etc.
      As opiniões dos especialistas dividem-se: alguns dizem que tem de se analisar a distribuição em cada grupo e outros dizem que basta analisar a distribuição na variável como um todo.

      Reply
  41. Maria Jorge Santos

    Olá Teresa! Eu preciso testar a distribuição de uma variável de satisfação (escalar) para a idade (var. nominal). devo testar a normalidade destas variáveis separadamente ou testo a normalidade das duas no mesmo teste no “explore” do spss?

    obrigada!

    Reply
  42. LEONARDO

    Ola Teresa, tudo bem?

    No meu estudo estou fazendo um corte transversal de toda a amostra (n:70) em um grupo unico e estou usando variáveis de scores de vários exames e questionários de avaliação clínica para alguns disturbios, no entanto, notei que alguns variáveis apresentam distribuição normal e outras anormal pelos testes de normalidade Kolmogorov-Smirnov e Shapiro-Wilk. A minha duvida é: quando eu for verficar se existe correlação de uma variável com a outra através de um teste de correlação e usar uma variável com distribuição normal e outra não normal devo utilizar o resultado do pearson ou spearman?

    obrigado

    Reply
  43. Monique

    Olá professora!
    Tenho dois grupos (cultivo no claro e escuro) e quantifico concentração quimica em 12 tempos diferentes.
    -Devo fazer o teste de normalidade independente para cada tempo nos dois grupos?
    – Quando utilizo shapiro-wilk, em alguns tempos um grupo apresenta distribuição normal e o outro não.Devo usar teste não-paramétrico?
    E como realizo a compraração entre os tempos?
    Obrigada.

    Reply
    1. Teresa Post author

      Essa é uma questão pertinente até para os estatísticos. Uns dizem que deve analisar apenas a variável e ver se tem distribuição normal outros dizem que a distribuição deve ser analisada em cada grupo.
      Quando a variável apresenta distribuição normal deve usar paramétricos e caso não siga a normal deve usar não paramétricos.

      Reply
  44. Miguel Enrique

    Bom dia Teressa.

    Tenho umas dúvidas:
    1. O que acontece se num mesmo grupo tenho variáveis que apresentam normalidade e outras não? Devo separa-las e usar testes paramétricos para as normais e não paramétricos para os não normais? Ou fazer só estatística não paramétrica para todas?

    2. No SPSS o que significa uma significância de .200* (limite inferior da significação verdadeira)? Eu assumo que .200 é maior do que 5%, mas estou confundido pelo signo (*) , pois indica significância.

    Reply
    1. Teresa Post author

      De usar testes paramétricos para as que seguem a distribuição normal e testes não paramétricos para as que não seguem.
      Se tem um valor “.200” seguido de asterisco trata-se do valor do teste e o asterisco informa que esse valor é significativo. Veja a sig. associada ao teste e confirme.

      Reply
  45. Maria Carolina

    Olá, professora! Parabéns pelo site, aprendo muito lendo seu conteúdo.
    Estou fazendo um trabalho de conclusão e estou com uma dúvida. Agradeceria se pudesse me ajudar.
    Estou analisando o resultado antes e após uma intervenção de estimulação cognitiva realizada a um grupo de 11 idosos. Estou utilizando o SPSS para análise.
    Ao analisar o escore final de um dos instrumentos de avaliação aplicado por meio do teste de Wilcoxon (adotado após análise de distribuição de normalidade pelo teste de Shapiro-Wilk), verifiquei que houve mudança estatisticamente significativa nos momentos antes e depois.
    Queria analisar também cada item que compõe este instrumento, os quais são variáveis qualitativas dicotômicas de certo ou errado, e portanto adotei o teste de MacNemar (com a correção de Yates). Porém, nenhum dos itens acusou modificação estatística significativa por este teste. Assim fiquei com algumas questões:
    1) Isso seria possível? Ter uma diferença estatística ao comparar escore total do instrumento, mas nenhuma quando se analisa os itens individualmente? Parece contraditório para mim.
    2) Poderia adotar o teste de MacNemar sem a correção de Yates? Isso seria certo?
    3) Poderia fazer o teste de sinais ao invés de MacNemar, considerando que minha amostra é pequena (11 idosos) ?
    Professora, agradeço muito desde já sua valiosa ajuda

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *